Sampler, sample, sampling, sample playback

Sampler, sample, sampling, sample playback


Você sabe a diferença entre sampler, sample e sample player? Se não sabe e está lendo isto, chegou ao lugar certo!

Atualmente, muitos teclados trazem em suas características termos como “timbres sampleados”, “amostras de alta resolução”, “sampler interno” e outras similares. Mas afinal, o que isso quer dizer? Por definição, o sampler é um equipamento que consegue amostrar e armazenar sons a fim de reproduzi-los posteriormente, um a um ou de forma conjunta. Trocando em miúdos, funciona como um “gravador”. Os equipamentos que possuem esse recurso oferecem a possibilidade de gravar qualquer som e armazená-lo na memória para reproduzi-lo quando desejado.
Sample, portanto, seria a amostra, que contém todas as características de um som qualquer, gravada pelo sampler. E os equipamentos que são capazes de reproduzir essas amostras são os sample players ou sample playbacks, ou seja, reprodutores de samples.

Mellotron

Mellotron

Atualmente, essa operação é totalmente digital, mas isso não foi sempre assim. A origem do sample player remonta a tecnologias bem anteriores à digital. Pode-se considerar que o primeiro equipamento desse tipo tenha sido o Mellotron, teclado eletromecânico polifônico fabricado na Inglaterra em meados dos anos 60, que utilizava fitas de rolo de 8 segundos de duração com notas gravadas de cordas, sopros, coro de vozes, flauta e em alguns modelos até um rudimentar acompanhamento de ritmo em loop. Cada tecla pressionada acionava o “play” em determinada fita com a nota correspondente. Se a tecnologia parece arcaica, os resultados eram bem satisfatórios. Exemplo disso é o uso de Mollotrons por Rick Wakeman (The Six Wives of Henry VIII, Journey to the Centre of the Earth e The Myths and Legends of King Arthur and the Knights of the Round Table, entre outros), (Jean Michel Jarre (“Oxygene”), Pink Floyd (“A Saucerful of Secrets”, “Julia Dream”, “Sysyphus” e “Atom Heart Mother”), Beatles (“Strawberry Fields Forever”), King Crimson (In the Court of the Crimson King) e YES (Fragile e Close to the Edge), entre muitos outros.

Fairlight CMI

Fairlight CMI

Com a chegada da tecnologia digital, o Mellotron foi sendo substituído por equipamentos mais avançados, com capacidade de sampleamento, como o NED Synclavier e o Fairlight CMI, o mais famoso sampler da década de 1980. Até então, esses instrumentos eram grandes, complexos e bastante caros. Com a evolução da tecnologia do microchip, o sampler passou a ser embutido em teclados de menor porte ou em módulos pequenos de rack, tornando-se mais barato e acessível a um número maior de músicos. Bons exemplos disso foram os equipamentos da AKAI, da Korg e da Roland.

Com a disseminação dessa tecnologia e o avanço da gravação digital, samplear, hoje, se tornou corriqueiro. Qualquer celular que grava uma conversa está, na verdade, sampleando esse conteúdo sonoro. Desde a chegada dessa tecnologia, o mercado musical se transformou, a começar pelas gravações em estúdio, antes realizadas em fitas magnéticas de diversos tamanhos, que passaram a ser registradas digitalmente em HDs de alta capacidade.

Akai MPC Touch

Akai MPC Touch

É comum o uso de teclados com samplers internos, como nas marcas mundiais mais tradicionais do mercado (Korg, Roland, Yamaha etc.) e equipamentos específicos para isso, como pad controllers e, até mesmo, pedais. Mais comum ainda é o uso de samples (amostras) digitais de sons para manipulação para a síntese sonora, no chamado sistema sample + síntese. A maioria dos equipamentos atuais trabalha nessa plataforma, oferecendo timbres de qualidade, sampleados em estúdios – como, por exemplo, gravações nota por nota dos timbres de um piano – e os mais avançados recursos de manipulação para a modificação, se desejada, desse timbre.

Além disso, estão disponíveis milhares de bibliotecas de timbres sampleados de altíssima qualidade para uso em computadores, matéria-prima básica para compositores de trilhas sonoras, por exemplo. E também é comum a utilização desses timbres em conjunto com os sons do teclado em gravações, para mais peso e maior realismo, e mesmo em shows, com todo o conteúdo sonoro sendo produzido por VSTs instalados em um computador conectado a um teclado controlador via MIDI.

Portanto, não confunda:
Sampler = equipamento que grava amostras digitais
Sample = A amostra ou o conjunto de amostras gravadas
Sample player = equipamento reprodutor de samples, sem capacidade de gravação
Sampling = capacidade e ato de samplear ou gravar

Categorias

+ Sem comentários

Adicionar