Dispositivos de modulação

Dispositivos de modulação


Os sintetizadores e teclados em geral têm condições de modificar o timbre e seu comportamento de forma profunda, bastando para isso saber utilizar os recursos disponíveis

Por meio do recurso de modulação, que nada mais é do que a interferência de circuitos no timbre original, pode-se alterar o som e suas propriedades como afinação, efeitos, filtros, volume etc. Existem dois tipos de modulação: as que atuam em tempo real – que o músico pode alterar – e as automáticas – quando não se pode alterar os ajustes programados anteriormente.

MODULAÇÕES

AUTOMÁTICAS EM TEMPO REAL
LFO Pitch Bend
Key Follow Mod Wheel
Envelope Pedal de sustain e outros
Velocidade
Aftertouch
Breath control
Ribbon controller
MIDI

Dispositivos de modulação

rs4000_lfoLFO – A tradução seria: oscilador de baixa freqüência. Pode-se também chamá-lo, simplesmente, de “vibrato”. É claro que, como existe um circuito especial para cuidar só disso, é possível ter efeitos mais rápidos ou mais lentos e também alterar sua forma de onda, fazendo que ele tenha reações mais complexas e variadas. Dessa forma, o sintetizador, num recurso tão simples como o vibrato, é mais flexível que os instrumentos mais parecidos com um órgão.

Key Follow – Pode-se fazer que o som seja “modulado” dependendo da região em que o teclado estiver sendo tocando. Uma das primeiras utilizações desse recurso foi a de diminuir o tempo de attack da nota, conforme as notas mais graves de uma flauta são tocadas. Para verificar isso, basta ouvir o timbre de pan flute de um teclado arranjador: o attack da nota nas regiões graves é mais lento. Quanto mais agudo, mais rápido é o attack da nota, simulando o instrumento acústico. Esse efeito é controlado pelo Key Follow.

JHtrzdVCA-00-envlopeBEnvelope – É uma programação realizada no comportamento do som, com controles no começo, meio e fim da nota tocada. O envelope mais simples é o chamado ADSR. Essa sigla significa Attack (ataque da nota, tempo para chegar ao nível máximo), Decay (tempo para chegar ao nível de sustentação da nota), Sustain (nível que permanece quando a nota está sendo tocada ou pressionada) e Release (tempo para chegar ao nível zero). O Envelope é programável e é um dos maiores responsáveis pelo comportamento do timbre na programação de um sintetizador.

emushortboard_pitch_wheelPitch Bend ou Pitch Wheel – Afinação da nota. Quando a “rodinha” ou joystick é puxado, a afinação do som desce. Empurrando-o para frente, a afinação sobe. Com suas regulagens, consegue-se alterar, em seu ajuste máximo, até uma oitava ou mais e, no ajuste mínimo, meio tom ou menos. Esse circuito imita as alavancas de guitarra.


Mod Wheel –
é o botão (ou “rodinha”), que controla a intensidade de modulação do LFO. O LFO é uma modulação automática e o Mod Wheel é uma modulação em tempo real. A entrada de modulação feita pelo Mod Wheel é controlada pelo músico que pode aumentar ou diminuir a intensidade do efeito. O LFO, diferentemente, está presente no oscilador, tocando “sempre”.

pedal_sustain_para_teclado_fc3_yamaha--32578_2000_001Pedal de sustain – é muito conhecido pelos pianistas e sua utilidade é de manter o som o máximo tempo possível no nível de sustentação (Sustain) do envelope. Possui, também, a possibilidade de ser programado para outras funções como, por exemplo, o acionamento do efeito rotary (Leslie) ou qualquer outro efeito programável do sintetizador. Basta ter o endereçamento correto.

Aftertoutch – Na tradução, pode ser chamado de “depois do toque”. Quando uma nota é tocada no teclado, o mecanismo dispara o som com o volume de acordo com a velocidade (força) com a qual isso foi feito, além de seu LFO e efeitos. Quando a tecla é pressionada, outro circuito é disparado e pode estar relacionado ao volume, pitch shift e efeitos de distorção, entre outros que o teclado ofereça. Esse recurso é totalmente programável e varia de acordo com a tecnologia dos equipamentos.

Velocidade – o teclado altera o volume da nota de acordo com a força com a qual é tocado. Nesse caso, é alterado o volume do amplificador interno do equipamento. Como todo circuito de modulação, esse efeito pode ser desligado, fazendo que a tecla não tenha nenhuma sensibilidade e todas toquem no mesmo volume (teclado não sensível).

Para um melhor entendimento desses recursos, é aconselhável ouvir gravações para identificar qual tipo de modulação o timbre apresenta, assim como no comportamento dele durante a execução. Além disso, o ideal é conhecer todos os dispositivos de um teclado e quais os recursos de modulação ele apresenta.

Categorias

+ Sem comentários

Adicionar