Pedais de guitarra: tipos e aplicações

Pedais de guitarra: tipos e aplicações


Os pedais de guitarra são peças insubstituíveis para qualquer guitarrista que se preze. Isso porque elas têm uma função muito importante, que quando combinada com o instrumento, pode trazer uma ótima musicalidade.

Com as mais diversas opções de configurações e timbres, você pode encontrar variadas versões desses acessórios nas lojas de instrumentos musicais.

No entanto, apesar de ser um equipamento muito bem vindo no momento de tocar uma música, muitos artistas acabam tendo dificuldade em escolher a opção mais adequada para o seu caso.

Pensando nisso, nós da Teclacenter preparamos um post com tudo o que você precisa saber para escolher e comprar o seu pedal de guitarra.

Para que servem os pedais de guitarra?

Os pedais de guitarra são equipamentos usados para alterar o som do instrumento, causando um efeito sonoro na música.

Esses itens ficam posicionados próximos ao pé do artista, enquanto um cabo o conecta diretamente com a guitarra.

Quando seus botões e interruptores são apertados, é possível criar uma entonação no som do instrumento, que será controlado pelas cordas que são tocadas pelo guitarrista.

É possível combinar diversos tipos de pedais e criar um set deles, para que assim tenha inúmeras versões de efeitos para uma apresentação marcante.

Tipos de pedais de guitarra e as suas aplicações

Como dito anteriormente, existem diversos tipos de pedais de guitarras que você pode escolher e usar, sendo que cada um deles possui a sua funcionalidade.

Após conhecer todos eles, o músico tem total liberdade para escolher quantos tipos desses equipamentos ele usará na sua apresentação.

  • Afinador: antes de começar uma música é crucial que o instrumento do musico esteja totalmente afinado.

Uma boa parte dos artistas opta por afinadores de clip (headstock), que infelizmente podem não ser 100% precisos em um ambiente com muitos ruídos ou barulhos, como em shows e casas noturnas.

Por conta disso, que usar um pedal de afinação pode ser a melhor opção para esses momentos, além de agregar muito bem no set de pedais da sua banda.

  • Distorção: quando falamos em pedais de efeito, a distorção é a primeira que vem a cabeça. Afinal, ele é basicamente o tipo de pedal mais procurado nas lojas de instrumentos de todo o país.

A grande maioria desses pedais possui um drive com qualidade profissional, dos quais são utilizados por guitarristas famosos.

Com os boost nos médios é possível criar distorções agudas diferenciadas e de uma ótima qualidade de efeito.

Geralmente, esse tipo de equipamento conta com entradas REMOTE, o que permite a conexão com um footswitch, que é usado para alterar o pedal de um modo para outro rapidamente.

  • Chorus: os pedais chorus têm sido a base de muitos sons clássicos de guitarra que conhecemos e admiramos hoje em dia.

Ele é uma ótima maneira de adicionar dimensões aos tons dos instrumentos, sejam eles no clean ou então no overdrive.

Existem muitos modelos que são capazes de preencher as músicas de maneira brilhante e agradável, proporcionando um som rico e inconfundível.

  • Noise Gate: todo guitarrista sabe que uma distorção ou um overdrive pesado podem produzir ruídos, justamente porque o pedal modifica o som que sai do instrumento de forma mais agressiva.

Durante uma música ou um solo, é quase imperceptível, mas nas pausar pode acabar incomodando um pouco.

Nesses momentos, um noise gate (“portão para ruído”, em tradução livre), serve muito bem para reduzir e, até mesmo, silenciar aquele chiado indesejado.

  • WAH (ou wah-wah): o efeito de wah é indispensável no set de guitarras que tocam em estilos derivados do rock.

Diversas bandas compõem músicas em que, num determinado momento, o som do wah traz personalidade e torna a melodia mais despojada.

Tom Morello e Slash são exemplo muito famosos de músicos que utilizam esse pedal de forma constante, principalmente em seus solos e/ou acompanhamentos.

Existem diferentes opções no mercado de pedais de guitaara WAH com ótimas qualidades e versatilidades em sua sonoridade.

  • Volume: Junto do WAH durante uma apresentação, podemos contar também com o auxilio de um pedal de volume.

Afinal, no momento dos solos e até mesmo dos famosos “riffs matadores”, a guitarra deve estar sempre em destaque, servindo como um tipo de cereja do bolo em diversas ocasiões.

Os pedais de volume são mais resistentes do que os outros, justamente pelo fato de serem muito mais usados durante as apresentações.

Geralmente, os modelos desses tipos de equipamentos também são maiores e apresentam um design anatômico ao formato do pé, facilitando o seu uso para o guitarrista.

  • Delay: por último, mas não menos importante, temos o Delay. Esse pedal é usado em tons clean e crunch, fazendo com que ele possua uma forte presença em estilos como o gospel.

Esse pedal também é muito bem aproveitado por guitarristas solo e a sua marcação produz um eco que diminui gradativamente durante os segundos em que ele foi configurado.

Com isso, é possível causar a impressão de que o som continuou rolando por mais alguns segundos, enquanto novas notas já foram tocadas pelo guitarrista. E tudo isso, de maneira bem sutil.

Na maioria das vezes, os modelos do Delay são mais compactos e discretos. Além de produzirem efeitos digitais com uma grande qualidade.

Como escolher o pedal ideal?

Após conhecer todas as opções de pedais de guitarra, o artista com certeza irá se perguntar: como escolher o equipamento ideal?

É preciso ter em mente que todos eles oferecem aplicações diferentes durante uma apresentação e, por conta disso, nenhum substitui o outro.

Para escolher a melhor (ou melhores) opção para seu caso, pesquise sobre cada um dos estilos de pedais e invista naqueles que você sabe que farão diferença na sua musicalidade e que combinarão com o estilo de música tocado.

Se preferir e estiver disposto a gastar um bom dinheiro, monte um set com um pedal de cada estilo e seja um guitarrista completo!

+ Sem comentários

Adicionar