O que é partitura?

O que é partitura?


Você com certeza já deve ter ouvido falar sobre as partituras, não é mesmo? Ela é um objeto ou arquivo digital que reúne símbolos que representam os valores físicos do som.

Os valores apresentados por elas são referentes a: altura, duração, intensidade e timbre.

Ela é uma peça muito importante para um músico, seja ele amador ou profissional, pois ela é quem irá dar o tom que a canção precisará ser tocada.

Se você quer conhecer um pouco mais sobre a partitura, continue nos acompanhando neste post completo.

A história da partitura

Os primeiros registros de som por símbolos surgiram em meados do século X. Neste caso, eles eram exclusivamente apresentados por meio apenas de alturas, como um lembrete em texto litúrgico.

A escrita da partitura nasceu em um ambiente eclesiástico, da Igreja Católica, na reforma de Guido d’Arezzo (992 – 1050).

A altura foi o primeiro elemento pautado, do qual representa uma parte da organização de uma melodia quando aos intervalos entre as alturas e quando aliada a duração, concede precisão de uma escrita para uma ideia musical.

A duração foi o segundo elemento incluído no registro das partituras. De início, com a interpretação das palavras do Latim.

A seguir com a escrita de proporcionalidade binária a partir da idéia de proporções quanto a um pulso constante.

Por último veio o timbre, como um elemento simbólico que atingiu a grafia no século XX. No entanto, se considerarmos a partitura destinada para um instrumento, o timbre já estaria previsto nas obras musicais a partir do século XIV.

Como estão posicionados na partitura?

A altura está no pentagrama ou na pauta musical, tanto quanto na escolha de uma clave e no posicionamento da cabeça das notas nas linhas e espaços.

Eles estão ampliados na expansão da tessitura, pelo que chamamos de linhas e espaços suplementares inferiores e superiores.

Elementos de uma partitura

Para entender como uma partitura funciona, é preciso conhecer os elementos que estão presentes nela.

Duração

Hoje em dia, utilizamos sete símbolos proporcionais de duração, em figuras de som e silêncio, que são elas: a semibreve, a mínima, a semínima, a colcheia, a semicolcheia, a fusa e a semifusa.

Nas durações ainda estão compostos termos do italiano como adágio, andante, alegro, presto e prestíssimo. Sempre acelerando e ralentando.

Esses termos tratam da flexibilização interpretativa do pulso constante.

Intensidade

Os sinais de acentuação representam a intensidade. Desde os termos do italiano – piano, mezzo, forte e derivações.

Esses termos de expressividade até as simbologias particulares são variadas formas de execução.

Timbre

No século XX, o timbre ganhou simbologias específicas que variam de acordo com o compositor e até mesmo em sua obra.

É comum que as partituras que ampliam o recurso do timbre estarem acompanhadas de uma bula da qual identifica e explana sobre o movimento de ação do instrumentista perante a requisição do seu autor.

+ Sem comentários

Adicionar