Ensino de música é lei, mas ainda não “pegou”

Ensino de música é lei, mas ainda não “pegou”


Você sabia que o ensino de música nas escolas brasileiras é uma política publica regulamentada por lei? Pois é, apesar de ainda não ter virado uma “moda” no ensino do Brasil.

A mais recente legislação sobre o tema, da qual inclui a disciplina no currículo obrigatório, é de maio de 2016 e mesmo com quatro anos passados, as escolas ainda não contam com esse tipo de ensino.

Hoje em dia, além da música, a dança, o teatro e as artes visuais também são matérias obrigatórias nas escolas brasileiras.

No entanto, muitas escolas país afora não se permitem ter o currículo adaptável, do qual apresentaria a opção dessas aulas para as crianças.

Infelizmente, apesar da lei já sancionada, os estados se recusam a oferecer esse tipo de opção para os alunos, principalmente aqueles que estudam em redes públicas.

Crianças que têm contato com a música durante a escola, mesmo que não sigam a carreira artística, aprendem a ler partitura, ter coordenação motora e muitas outras coisas que podem ser benéficas á elas futuramente.

O que poucas pessoas sabem é que a música pode ser muito benéfica para as crianças, independente da idade de cada uma delas.

Muitos pais também acabam imaginando que só devem incentivar o seu filho a ter contato com a música quando o mesmo apresenta algum tipo de interesse ou vocação para esse tipo de atividade.

Acontece que o estimulo dos pais é extremamente importante para o desenvolvimento da criança, até mesmo para despertar um possível talento para a música que ainda é desconhecido até mesmo para a própria criança.

Motivos para a escola oferecer o ensino de música

Apesar de poucas pessoas terem conhecimento disso, existem diversos motivos para a escola e o governo começarem a investir no ensino de música para as crianças e eles vão muito além de apenas evoluir um talento.

Principalmente para uma criança que está em fase de desenvolvimento, principalmente descobrindo seus gostos e hobbies, a música pode trazer benefícios marcantes para ela.

E sim, o ensino da música apresenta benefícios que podem ser mantidos para o resto da vida da criança, além de ajudá-la a evoluir como adulto futuramente.

1- A música ensina de forma lúdica e divertida, aumentando o desempenho do aluno tanto na aula de instrumentos, quanto nas outras matérias da escola.

2- Ter contato com a música pode refletir contextos históricos e inserir os alunos dentro da culturalocal e regional.

3- Música pode ajudar a integração e interação entre os alunos, fazendo com que a criança aprenda a trabalhar com outras pessoas.

4- Pesquisas apontam que a música pode melhorar a leitura e a compreensão de textos, além de ajudar em questões de matemática.

5- Música estimula novas habilidades e formas de expressão, mesmo fora deste ramo.

6- A coordenação motora da criança melhora muito após ela inciar o contato com os instrumentos musicais.

Além desses benefícios, existem ainda muitos outros deles vindos do ensino de música em uma escola.

Sendo esse um dos grandes motivos para que esse seja um estilo de ensino que deva ser levado em consideração.

Quais são as maiores dificuldades que as escolas apresentam para implementar a lei?

Infelizmente, o ensino brasileiro ainda apresenta desvalorização da arte nas escolas, o que acaba levando á exclusão deste tipo de atividade do currículo escolar da criança.

A área das artes onde a música está incluída, ainda é vista como algo supérfluo no sistema educacional brasileiro, que parte do princípio de que ela está próxima à recreação.

Esse tipo de pensamento é muito comum para quem ainda não conhece todos os benefícios que a música pode trazer para uma criança que tem contato com esse tipo de arte.

Por conta da falta de incentivo dos órgãos públicos e governamentais, os pais que desejam que seus filhos tenham contato com a música acabam tendo que optar por aulas em escolas particulares, o que pode custar um valor bem alto para algumas famílias.

O preconceito com as artes é tanto que até o século XX, andar com um violão na rua poderia se tornar caso de polícia no Brasil por ser considerado crime de vadiagem, bizarro não é mesmo?

O desinteresse do governo com o ensino da música nas escolas também acaba resultando em falta de verba, o que é um dos grandes motivos para essa falta de atividade.

Sem aulas de música e investimento, a economia também pode sofrer

A falta de vontade política para investir e aplicar as leis, afeta o mercado da música economicamente, apesar de muitos nem imaginarem isso.

O motivo para esse tipo de conseqüência é que quando uma criança não tem contato com a música, dificilmente ela conseguirá aprimorar suas habilidades o que a levará a nunca ser um artista ou músico de sucesso.

Sem a formação na música para empregar músicos, produtores, iluminadores, atores e todos os outros tipos de profissionais da arte, a economia do país acaba sendo afetada pela falta de mão de obra.

Apesar de terem se passado quatro anos desde o surgimento da lei, hoje em dia não encontramos quase nenhum candidato á cargos políticos que se interessam em explorar essa área.

A iniciativa privada pode ser uma opção para contornar esse problema

Já que as escolas acabam não oferecendo estudos e aulas de música para as crianças, as pessoas que se interessam por essa área e conhecem os benefícios que ela pode trazer para os pequenos criam iniciativas privadas para servir de opção para esse tipo de problema.

A iniciativa privada nada mais é do que as escolas de música que costumamos encontrar em alguns bairros da cidade.

O lado negativo desse tipo de escola é que elas não são públicas, ou seja, é preciso que as famílias paguem pelas aulas de canto ou de instrumentos musicais.

Infelizmente, nem todas os pais que têm filhos que se interessam pela música podem pagar por essas escolas, sendo esse o motivo para que o governo tenha estabelecido a lei do ensino na rede pública.

+ Sem comentários

Adicionar