8 exercícios de piano e teclado

8 exercícios de piano e teclado


Quando decidimos aprender a tocar um instrumento, descobrimos que essa pode ser uma tarefa bastante complicada, principalmente quando falamos de piano e teclado.

Geralmente, as maiores dificuldades surgem no momento de conhecer mais sobre os acordes e cifras, ou até mesmo na hora de colocar a “mão na massa”.

Apesar de todos nós sabermos que isso é algo comum e que é preciso prática e muito estudo para se tornar um ótimo músico, é comum que algumas pessoas se frustrem ao não atingirem a sua meta.

Pensando nisso, criamos um post com 8 exercícios de piano e teclado que te ajudarão a desenvolver suas habilidades e ainda te fazer crescer nesta área.

Exercícios para piano e teclado

Apesar de existir os mais diversos exercícios para músicos que tocam piano ou teclado, separamos aqueles que apresentam mais resultado e em menos tempo.

No entanto, é preciso ter em mente que apesar de o objetivo ser alcançado com mais rapidez, os exercícios não são tão fáceis, o que exigirá mais esforço e empenho da parte do artista.

Os exercícios têm como objetivo apresentar formas de o músico praticar, até que consiga atingir o resultado esperado e sabemos que fazendo assim o estudo será absorvido com mais facilidade do que apenas lendo sobre ele.

Antes de conhecer os exercícios, é importante seguir algumas dicas iniciais:

  • Execute os estudos aprendidos em todas as tonalidades;
  • Mantenha a sua atenção em ambas as mãos;
  • Utilize o metrônomo em todos os métodos.

Com tudo isso em mente, vamos aos exercícios infalíveis:

  1. Staccato

O primeiro dos nossos exercícios faz parte de uma técnica conhecida como Staccato.

Esse método é bem simples, pois ele exige de você apenas uma nova forma de tocar o seu piano ou teclado.

Para realizá-lo, ao invés de exercitar escalas e arpejar sempre de forma arrastada, você deverá tocar como se os seus dedos desses leves “batidas” nas teclas.

Você vai fazer com que seus dedos pulem de uma tecla para outra ao invés de arrastá-los pelo instrumento.

Essa técnica permite que os sons de cada nota fiquem mais evidentes durante a canção, trazendo mais clareza para os movimentos.

  1. Ciclo das quartas

O segundo exercício da nossa lista é mais uma forma de executar as escalas de um piano, do que uma técnica em si.

Esse tipo de estratégia é conhecido como “ciclo das quartas” e ele pode ser mais simples do a grande maioria das pessoas imaginam.

Para que não seja confuso, tentaremos explicar de forma fácil:

Imagine que você está estudando para uma prova e para isso possui duas opções: ler a apostila ou fazer um resumo.

Pensando assim, a teoria do exercício poderá ficar mais clara para você.

Suponhamos que você e seu cérebro se adaptem muito mais á segunda opção (fazer o resumo), isso é o que acontece em um ciclo de quartas.

É apenas uma nova forma de fazer aquilo que você já está acostumado a fazer, porém trazendo melhores resultados.

No ciclo das quartas você passa a lidar com as escalas, tocando elas em sequência: Dó – Dó# – Ré – Ré#…, você sempre tocará a escala do 4° grau da nota anterior.

  1. Escalas com a nona (9°)

No terceiro exercício da nossa lista, vamos estudar as escalas maiores, porém de uma forma não tão comum.

Você já ouviu falar ou conhece a escala maior que Dó? Pois é, ela será a responsável por trazermos para essa técnica as 12 tonalidades, executando todas as escalas maiores e nos atentando para o fim de cada uma delas.

Todo pianista costuma tocar as escalas do instrumento e finalizá-las com a mesma tonalidade, por exemplo: Dó – Ré – Mi – Fá – Sol – Lá – Si – Dó.

No entanto, neste exercício nós iremos mudar um pouco e finalizar cada uma das escalas na nona (9°) e não na oitava (8°).

  1. Mão esquerda com sétima maior

No quarto exercício da nossa lista, iremos utilizar o mesmo esquema do tópico anterior: escalas com nonas.

No entanto, o que mudará desta vez é que utilizaremos a mão esquerda para auxiliar na nossa tarefa.

É preciso ter em mente que a partir do momento em que ambas as mãos são usadas, é preciso ter um pouco mais de atenção durante as tarefas, já que os movimentos se tornam um pouco mais complicados.

Com a mão direita você fará o mesmo de antes: escalas maiores com a nona. Ao mesmo tempo, com a mão esquerda, você irá tocar o acorde com a sétima maior, da tonalidade da sua escala.

  1. Baixo + Acorde com sétima

Esse é um dos exercícios para quem toca piano e ele também é muito interessante pois só necessita do uso da mão esquerda.

Apesar de ser uma tarefa fácil de ser realizada, é preciso praticar bastante para realizar os movimentos, principalmente se a sua mão esquerda não for a dominante.

Para realizá-lo você precisará tocar uma nota Dó maior e logo em seguida faz o mesmo com as outras, passando para o ciclo das quartas.

  1. Baixo + Acorde com sétima

Neste exercício usaremos o mesmo acompanhamento do anterior, apenas acrescentando algumas variações.

A mudança nesta tarefa é que quando o acorde com a sétima for tocado, faça isso duas vezes seguidas.

Toque a maior com o dedo mínimo, leve sua mão uma oitava acima e “bata” duas vezes no acorde.

Além disso, é preciso lembrar que assim como a dica anterior, é preciso usar apenas a mão esquerda para fazer esses acordes.

  1. +- escalas (mão direita)

Agora é o momento em que vamos trocar os papéis das mãos e também utilizaremos a direita para realizar o exercício.

Lembra da escala com a nona? Pois é, você fará o mesmo acompanhamento com a mão esquerda e com a direita, executará a escala com a nona nota.

Apesar de repetir o que foi explicado anteriormente, esse exercício é um pouco mais complexo e exige mais atenção.

  1. Arpejos de equalização

O último exercício da nossa lista pode ser considerado o mais complicado dentre os outros, mas ainda assim é uma tarefa básica.

Para realizá-lo é preciso que os acordes com sétima maior sejam realizados novamente, mas agora com as duas mãos.

Além disso, é preciso que ao invés de bater todas as notas juntas, você também arpeje cada uma delas individualmente, de forma que todas elas sejam tocadas separadamente.

Finalmente chegamos ao fim da nossa lista de exercícios e apesar de pequena, ela pode ajudar e muito os músicos iniciantes a terem mais bagagem na sua carreira musical.

+ Sem comentários

Adicionar