Saiba quais são os principais tipos de palhetas para instrumentos de corda

Saiba quais são os principais tipos de palhetas para instrumentos de corda


À primeira vista as palhetas para os instrumentos de corda parecem ser todas iguais. Mas, na prática, existem muitas diferenças entre os tipos de palhetas e é importante conhecê-las, para escolher a melhor para cada caso. Apesar de se tratar de uma questão de gosto pessoal, é bom estar ciente que as características do acessório fazem diferença no som obtido.

É importante observar o material com que a palheta foi feita, sua espessura, o formato e em quais instrumentos ela se adapta melhor. Os músicos cuidadosos querem sempre aprimorar o seu som, por isso, a escolha da palheta também precisa ser feita com atenção.

Está na dúvida sobre o que precisa ser considerado na hora de escolher a melhor palheta? Continue a leitura e descubra.

Quais são os principais tipos de palhetas

Como já mencionamos, existem muitos tipos diferentes de palhetas e cada um é mais adequado para um caso específico. Para ajudar você a compreender melhor sobre essas diferenças, listamos as principais características que precisam ser consideradas na hora de comparar e decidir a sua. Confira!

O material da palheta

O material é o primeiro item a ser observado na hora de escolher a palheta ideal. Ele pode influenciar no som obtido, no conforto do músico e também no valor do produto. Os mais comuns são:

  • celulose: é o material mais básico das palhetas. Isso porque seus preços são acessíveis, a durabilidade é média e eles se adaptam bem a vários estilos. É legal para músicos de vários perfis;
  • nylon: o nylon é bem flexível, o que o torna interessante para músicas mais melódicas e de som limpo. Porém, sua durabilidade é bem pequena;
  • metal: essas palhetas são muito pesadas, e isso contribui para um som potente. Em contrapartida, podem desgastar mais as cordas e desafinar o instrumento;
  • acrílico: o material é bastante resistente, não trinca e permite que a palheta seja cortada sem causar nenhum dano. É uma opção muito usada por quem toca guitarra no estilo jazz;
  • madeira: por conta do material mais duro e denso, as palhetas em madeira produzem um som único, bem característico. Elas são usadas em casos muito específicos;
  • casco de tartaruga: trata-se do material menos comum da lista. As palhetas de casco de tartaruga não são mais fabricadas, porque a sua exploração foi proibida.

A espessura da palheta

Outro item muito importante que precisa ser observado na palheta é a sua espessura. Isso faz uma diferença direta na hora de tocar, então é preciso escolher com atenção. As espessuras das palhetas variam de acordo com as marcas, mas geralmente as mais usadas para guitarra, contrabaixo e violão são:

  • extrafina (menos de 0,40 mm): é usada com pouca frequência, por ser muito leve. Ela é indicada para efeitos sonoros muito particulares e tem a durabilidade bem pequena;
  • leve (entre 0,40 e 0,63 mm): são bastante confortáveis para bases e também interessantes para quem busca sons suaves e aveludados. O ponto negativo é que dobram com facilidade;
  • média (entre 0,63 e 0,85 mm): com um bom equilíbrio entre presença e suavidade, as palhetas médias podem ser a melhor opção para músicas mais dinâmicas;
  • pesada (entre 0,85 e 1,22 mm): se você adora fazer solos rápidos, aqui está a espessura ideal. Essas palhetas têm força e pegada, mas ainda alguma flexibilidade;
  • extra-pesada (acima de 1,22 mm): palhetas muito espessas são boas opções para contrabaixo e para quem toca estilos como jazz na guitarra. Também podem ser a escolha de quem deseja sons bem carregados.

O formato da palheta

O terceiro ponto importante a ser observado na palheta é o seu formato. Geralmente o que faz a maior diferença nesse item é a ponta. Assim, palhetas mais finas e pontiagudas são boas opções para quem busca velocidade e precisão. No caso das pontas arredondadas, o som produzido é mais “cheio” e aveludado.

Algumas adaptações podem ser feitas no formato da palheta para oferecer mais conforto ao músico. Dentre elas estão curvas anatômicas e asperezas, para evitar que o acessório saia da mão.

Qual a influência da palheta no som

As características das palhetas, como materiais, flexibilidade e resistência interferem no timbre do instrumento e na tocabilidade para o músico. Características físicas do instrumentista, como o tamanho da mão e o nível de transpiração também precisam ser consideradas.

Dessa maneira, o ideal é que você tenha em seu porta palheta certa variedade de opções, que podem permitir explorar o melhor de cada música e de cada técnica também. Em alguns casos, a mesma música pode necessitar de sonoridades diferentes. Por isso, experimente até encontrar aquelas com que se adapta melhor.

Contudo, é importante destacar que nenhuma das recomendações acerca das características das palhetas deve ser levada com uma regra geral. Isso varia muito de acordo com cada músico, então, a melhor maneira de fazer a escolha é por meio de testes.

Como escolher a palheta ideal

Agora que você já sabe todas as características que influenciam na hora de escolher a palheta, é preciso saber o mais importante: qual é a melhor para você! Para descobrir a essa resposta, é preciso fazer um balanço das informações e ver qual opção mais se adapta ao seu estilo de tocar, ao seu repertório e ao seu gosto pessoal.

De maneira geral, se recomenda começar pelos modelos mais intermediários. Ou seja, a palheta de celulose, com espessura média e ponta intermediária pode ser uma boa alternativa. Isso porque ela permite bastante versatilidade para vários tipos de músicas.

Com o tempo, você passa a desenvolver algumas preferências e necessidades, e, assim, começa a adaptar as suas palhetas. Além disso, como dissemos, não existe só uma palheta para cada músico. É interessante ter diferentes modelos, principalmente se o seu repertório for eclético.

Portanto, é importante saber quais são os tipos de palhetas e as suas particularidades, para compreender melhor o efeito que elas exercem nas músicas que você toca. A dica é brincar com as possibilidades e explorar todas as opções que puder. Ter algumas de reserva também é sempre bom, até porque as palhetas somem misteriosamente, então nunca é demais!

Qual é a sua palheta favorita e quais as características que você considera mais importantes na hora de escolher? Conte para a gente nos comentários!

Categorias

3 Comentários

Adicionar

+ Deixe um comentário