Evite a fadiga muscular

Evite a fadiga muscular


Figura 1

Figura 1

As mãos – assim como os antebraços – de pianistas e tecladistas são suas mais importantes ferramentas e, por isso, devem ser foco de cuidados para prevenir lesões

O ato de tocar piano ou teclado exige um alto nível de precisão de movimento, dedos rápidos e horas de exercícios. Isso expõe os músicos, às vezes, à intensa fadiga e, com isso, a problemas de saúde que afetam seus músculos e suas articulações. Muitos fatores de risco contribuem para o surgimento de queixas musculoesqueléticas durante a prática musical, como técnica incorreta, postura inadequada, condições físicas do músico e muitas horas de dedicação.

Figura 2

Figura 2

Manter os punhos na mesma linha do cotovelo e intercalar a posição de neutro/extensão do punho durante o movimento dos dedos ao tocar, influi em menor sobrecarga nas estruturas, pois o corpo se beneficia da vantagem mecânica do movimento funcional (Figura 1).

Figura 3

Figura 3

O pianista também deve estar atento à sua postura: o tronco deve ser mantido ereto, os punhos neutros e o antebraço paralelo ao chão. Existe um sinergismo entre os músculos do punho e dos dedos chamado “efeito tenodese”, cuja extensão do punho (isto é, a altura do punho mais baixa que a mão) facilita o fechamento ou a flexão dos dedos (Figura 2), ao passo que a flexão do punho (ou seja, o punho um pouco mais alto) favorece a abertura dos dedos. (Figura 3).

Observa-se, entretanto, que até mesmo na posição ideal, a abertura da mão para atingir certas notas e a força excessiva ao tocar podem causar tensões nos tendões. Reservar um tempo para a manutenção da flexibilidade e da força dos tecidos musculares é fundamental ao pianista para a prevenção de eventuais danos.

 

Figura 4

Figura 4

Exercícios de relaxamento 

Uma boa forma de relaxar os músculos e os tendões das mãos e antebraços é praticar algumas técnicas de alongamento antes e depois de tocar. Essas técnicas são fáceis e ajudam a aliviar as tensões que, eventualmente, possam surgir.

Alongamento de dedos (Figura 4): trabalhe o alongamento de cada dedo (individualmente) fazendo duas séries de sustentação de 20 segundos cada. Cuidado para não se exceder no alongamento para não se machucar!

Figura 5

Figura 5

Alongamento de antebraço (Figura 5): trabalhe o alongamento fazendo duas séries de sustentação de 20 segundos cada.

A compressão com uma bola de tênis ou outro tipo de bola de material consistente (Figura 6), rolando sobre o antebraço e as mãos, alivia as tensões musculares e gera sensação de leveza (compressão por um minuto e descanso de 30 seg.).

Figura 6

Figura 6

Ajudando o corpo 

Os alongamentos e a mobilização articular não apenas ajudam a prevenir lesões, mas propiciam, também, conforto e longevidade na prática musical. Então, vale a dica: faça alongamentos antes e depois de tocar. (Agradecimentos:Kariny do Espírito Santo e Turi Collura)

Categorias

+ Sem comentários

Adicionar