O que é escala musical?

O que é escala musical?


Seja iniciante, intermediário ou avançado, muito músicos ainda apresentam dificuldade de saber o que é realmente a escala musical.

Caso seja um deles, não se preocupe, pois isso é muito mais normal do que imaginamos, já que esse tema gera muitas controvérsias entre os músicos de todos os instrumentos.

Apesar do que parece, as escalas musicais não são um monstro indecifrável e que para dominar o assunto é preciso decorar inúmeras escaladas, em todos os tons e em todos os desenhos possíveis.

No entanto, antes de tudo isso, é muito importante você conseguir entender o que são as escalas musicais, como elas surgiram e, principalmente, como elas vão te ajudar na vida real e na música.

Pensando nisso, criamos um conteúdo com tudo o que você precisa saber sobre as escalas musicais, confira!

O que são escalas musicais?

As escalas musicais são sequências ordenadas de notas, por exemplo: dó, ré, mi, fá, sol, lá, si, dó… Repetindo esse ciclo.

Nessa escala, começou-se com a nota dó e foi-se seguindo uma sequência bem definida de intervalos até o retorno para a nota dó novamente. Essa sequência bem definida de distâncias foi: tom, tom, semitom, tom, tom, tom, semitom… E assim repetindo o ciclo.

Escala maior

A escala comentada anteriormente é chamada de “escala maior”. Poderíamos utilizar essa mesma sequência começando de uma nota que não fosse o dó, como por exemplo: o sol.

A escala então seria: sol, lá, si, dó, ré, mi, fá, sol. Consegue notar como a mesma lógica foi seguida?

No primeiro caso, formamos a escala maior de dó e no segundo a escala maior de sol.

Seguindo a mesma lógica podemos montar a escala maior de todas as 12 notas que conhecemos.

Escala menor

A chamada escala menor é formada a partir da seguinte sequência: tom, semitom, tom, tom, semitom, tom, tom e assim o ciclo se repete.

Por exemplo, a escala menor de dó menor seria: dó, ré, ré,fá, sol, sol, lá, dó… E repete o ciclo.

Quais as diferenças entre as escalas ascendentes e as escalas descendentes?

Conforme as informações anteriores, podemos concluir que a escala musical é um sequência de sons que surgem um padrão utilizando tons ou semitons para formar um ciclo que sempre se repete, tanto na direção aguda, quando na grave.

Quando cantada ou tocada do grave para o agudo, dizemos que a sequência segue uma escala ascendente, na qual irá reiniciar seu ciclo 1 oitavo acima.

Podemos mostrar melhor na foto abaixo:

Escalas diatônicas e escalas naturais

A escala diatônica é formada por sete sons com a repetição o do padrão no oitavo som. Ela possui cinco intervalos de tons e dois intervalos de semitons, que são as unidades de medida utilizadas na música.

Para compreender mais claramente, observe a imagem a seguir, onde cada degrau possui o valor de semitom ou ½ tom, como também pode ser chamado.

Dessa forma, podemos dizer que a nota dó está a 1 tom de distância da nota ré, assim como a nota mi está a ½ tom da nota fá.

Para conseguirmos visualizar uma escala diatônica na prática, é só você tomar como base o braço de um instrumento com trastes como o violão ou a escala musical de um piano, como nas imagens abaixo:

No caso do violão, a distância entre uma casa e outra corresponde a ½ tom e a distância entre as duas casas equivale a 1 tom.

No piano, cada tecla vale ½ tom, intercalada entre brancas e pretas. Nos casos das notas Mi Fá e Si Dó, as teclas brancas são adjacentes, isso porque não possui nenhum acidente (sustenido ou bemol) nessas notas.

Com base nisso, podemos ver que essa sequência de notas seguia uma sequência de tons e semitons que é a seguinte:

Isso é uma escala musical, no caso, a escala diatônica da nota C, que também pode ser chamada de escala natural.

Na prática, utilizamos as escalas musicais para formar acordes, campos harmônicos, criar melodias a partir da sonoridade dos diferentes intervalos que se originam em cada um dos seus graus.

Já no caso da escala diatônica, estes graus também são conhecidos como Modos Gregos.

+ Sem comentários

Adicionar