Como usar o pedal de guitarra?

Como usar o pedal de guitarra?


O pedal de guitarra é uma peça muito cobiçada por todos os músicos que utilizam este tipo de instrumento em seu dia a dia.

A grande variedade que este equipamento possui pode oferecer diversas possibilidades para quem ama esta arte e deseja leva-la para o resto de sua vida.

No entanto, justamente por ter tantas possibilidades, pode ser que os músicos encontrem uma grande dificuldade no momento de escolher o produto ideal para o som que deseja fazer.

São tantas opções e versões que esta tarefa pode se tornar bastante difícil.

Pensando nisso, preparamos um conteúdo com tudo o que você precisa saber sobre pedal de guitarra e como usar cada um deles.

Tipos de pedais de guitarra

Como foi dito anteriormente, existem diversos modelos de pedais de guitarra no mercado musical brasileiro.

Veja agora as principais versões e as mais utilizadas pelos profissionais desta área:

Boost

O pedal de Boost é o mais simples, porém, um dos mais úteis entre todas as opções disponíveis no mercado.

A sua principal função é aumentar o sinal que está sendo passado por ele.

Você pode usá-lo para dar um destaque maior para uma guitarra que tem uma saída mais baixa ou então para empurrar o seu amplificador.

Alguns Boosts são transparentes e mantém a sua equalização e timbre enquanto empurram o seu sinal. Outros podem adicionar uma cor ao som quando acionado.

Reverb

O Reverb é um dos efeitos fundamentais para todo o tipo de guitarrista e, geralmente, ele já vem de fábrica junto com a grande maioria dos amplificadores.

Este equipamento adiciona mais profundidade ao seu som e é tão utilizado em gravações que ele já se tornou quase que obrigatório.

O Spring e o Plate são os tipos mais comuns de Reverb, mas cada vez mais vemos novos tipos surgindo no mercado e que valem a pena serem testados.

Overdrive e Distorção

Esses são os pedais de Drive, ou como também são conhecidos: de ganho.

A história antiga deste tipo de equipamento faz com que ele seja uma das opções mais buscadas do mercado.

No entanto, apesar de estarem na mesma categoria, existe uma diferença entre o Overdrive e o de distorção.

Isso porque o de distorção é usado para atingir um som mais agressivo e mais rasgado, como o Metal e o Hard Rock.

Enquanto os overdrives são utilizados para simular o som dos amplificadores valvulados com volumes bem mais altos, o que resulta na saturação mais quente como no blues ou no rock clássico.

Delay

O Delay nada mais é do que um efeito de eco. No entanto, para que ele seja utilizado corretamente, será preciso ter bastante maestria durante o processo.

Seus controles mais importantes são o “Tempo” que controla a distância entre as reproduções e o “Repetição” que controla a quantidade de repetições.

No entanto, com o Delay, você pode facilmente chegar a um som parecido com um reverb de rockabilly e até mesmo em loops do The Edge.

Octave

Um pedal de octave aumenta ou abaixa o seu tom em uma ou mais oitavas.

Esse equipamento pode fazer com que o seu som cresça de uma forma muito interessante, preenchendo o som como um todo.

O ideal é contar com um pedal que tenha um controle de Mix, em que você possa controlar a quantidade de efeito que irá colocar no seu som.

Tremolo

O Tremolo é um efeito bastante vintage e pode ser frequentemente visto em gravações de blues.

Ele diminui a intensidade do seu sinal em intervalos mais regulares do que as outras versões.

O seu funcionamento é como se houvesse uma máquina aumentando e diminuindo de volta o volume do seu amplificador.

Apesar de parecer algo bastante simples, o Tremolo pode adicionar uma textura muito interessante ao seu som.

Isso porque quando colocado de forma bastante sutil, ele trará um tempero a mais no seu som. Caso seja colocado de uma maneira mais intensa, ele pode trazer mais drama para as bases mais pesadas.

Compressor

O Compressor funciona de uma forma bastante sutil, pois ele mantém o sinal com uma certa constância: previne que o som tenha picos de volume e que ele diminua bastante também.

Com isso, ele acabará por aumentar o sustain e manter a dinâmica da sua forma de tocar a guitarra.

Você pode ver que este efeito é muito utilizado no funk, onde existem as bases rítmicas e grooveadas.

Além disso, esse pedal pode trazer um som mais limpos e brilhante.

Chorus

O Chorus é usado para duplicar e desafinar levemente o seu sinal, podendo trazer um efeito bastante interessante e uma cor mais acentuada para o que você está tocando.

Apesar de a grande maioria dos guitarristas utilizarem o Chorus em um som mais limpo, alguns deles também o incluem na hora do solo, obtendo um efeito de duplicação do seu sinal.

Fuzz

Por último, mas não menos importante, temos o Fuzz.

Diferente da distorção ou do Overdrive, ele não foi desenvolvido para soar como se fosse um amplificador, ou para adicionar conteúdo harmônico ou então para dar aquelas pitadas transistorizadas no seu timbre.

O Fuzz foi muito usado na década de 60 para criar uma distorção mais exagerada.

Ele também é capaz de alterar completamente o som do seu amplificador e, por conta disso, é preciso que ele seja bastante estudado antes de ser usado.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os pedais de guitarra, estude e escolha a opção que mais faz sentido para o seu som.

+ Sem comentários

Adicionar