Quaternaglia lança CD Xangô

Quaternaglia lança CD Xangô


image002Dia 12 de junho, às 20h30, sexta-feira, o Quaternaglia Guitar Quartet (QGQ) lança o CD Xangô na Sala São Paulo em um concerto com a Orquestra Sinfônica de Heliópolis sob regência de Isaac Karabtchevsky. O Quaternaglia é formado pelos violonistas Chrystian Dozza, Fabio Ramazzina, Thiago Abdalla e Sidney Molina.

Nessa apresentação o Quaternaglia interpreta o Concerto Itálico para quarteto de violões e orquestra de cordas (2001) de Leo Brouwer. Dia 20 de junho, o Quaternaglia toca no Texas, nos Estados Unidos. No repertório do CD obras de Villa-Lobos, Almeida Prado. Ronaldo Miranda, Sergio Molina, Chrystian Dozza, João Luiz e Paulo Bellinati.

O Quaternaglia Guitar Quartet (QGQ) tem sido aclamado como um dos mais importantes quartetos de violões da atualidade, tanto pelo alto nível de seu trabalho camerístico como por sua importante contribuição para a ampliação do repertório. Em mais de vinte anos de atuação, o grupo – formado pelos violonistas os violonistas Chrystian Dozza, Fabio Ramazzina, Thiago Abdalla e Sidney Molina – vem estabelecendo um cânone de obras originais e arranjos audaciosos, o que inclui a colaboração com compositores como Leo Brouwer, Almeida Prado, Egberto Gismonti e Paulo Bellinati.

Sua atuação começou a despertar o interesse da crítica internacional a partir de 1998, após a obtenção do “Ensemble Prize” no “Concurso Internacional de Violão de Havana” (Cuba) e da participação em importantes séries de violão e música de câmara dos Estados Unidos, como Guitarists of the World, Allegro Guitar Series, Chamber Music Sedona, Friends of Music e Round Top Festival Hill.

O lançamento do CD Forrobodó (produzido por Egberto Gismonti) na Europa pelo selo Carmo/ECM (2000), foi o registro pioneiro de um repertório original de grande virtuosismo dedicado ao quarteto, que tem sido modelo para alguns dos principais ensembles violonísticos da atualidade. Esse trabalho de pesquisa prosseguiu nos CDs Presença (2004), que traz também a primeira gravação mundial do Quarteto n.1 de Radamés Gnattali, Estampas (2010), produzido por Sérgio Abreu e gravado nos Estados Unidos, e Jequibau (2012), finalista do Prêmio da Música Brasileira, além do DVD Quaternaglia (2006), gravado ao vivo em São Paulo. Anteriormente, o CD Antique (1996), contendo transcrições de obras renascentistas e barrocas, possibilitou ao quarteto receber o “Prêmio Carlos Gomes” como “melhor grupo de câmara do ano”.

Com o título “Criando um cânone de fogo: quarteto de violões Quaternaglia atraído pela oportunidade de adicionar experiência e tempero a um jovem gênero”, o Los Angeles Times saudou a estreia do grupo na Califórnia. O Fort Worth Star Telegram afirmou “os quatro brasileiros tocaram todo o concerto de cor, com integração precisa”. Segundo o Valley Scene Magazine, “mesmo nos momentos musicais mais complexos, podemos vê-los sorrindo e aproveitando cada momento: a performance foi impecável”. Para Gil French, crítico do American Record Guide, “o Quaternaglia Guitar Quartet foi atordoantemente comunicativo em uma fabulosa versão da ‘Embolada’ de Villa-Lobos, em um comovedor e tranquilo tema de Egberto Gismonti, no polirrítmico tour de force Baião de Gude, de Paulo Bellinati, e na Sonata Cravo e Canela, de Sérgio Molina. O público exigiu um encore – uma sensacional, clara, lírica e consumadora ‘Fuga’ da mesma Bachianas Brasileiras”.

O álbum inaugural do grupo, lançado em 1995 com as principais obras para quatro violões de Leo Brouwer, iniciou uma colaboração perene com o compositor cubano, que culminou com a première no Brasil de Concerto Italico e Gismontiana, concertos para quatro violões e orquestra apresentados também sob a regência do próprio compositor em locais como Grande Auditório do MASP (São Paulo), Theatro da Paz (Belém do Pará) e Teatro Nacional de Havana (Cuba).

Desde a estreia no exterior, no “I Festival Abel Carlevaro” (Uruguai, 1996), o grupo tem tocado em cidades como Nova York, Los Angeles, Chicago, Washington D.C., Dallas, Lisboa, Porto, Coimbra, Buenos Aires, Caracas, Havana e em mais de quinze estados brasileiros.

Também cabe destacar a atuação do Quaternaglia como solista convidado de orquestras no Brasil, Cuba e Estados Unidos. Além do Concierto Andaluz, de Joaquín Rodrigo, solado pelo quarteto com a Orquestra Sinfônica Brasileira (no Theatro Municipal do Rio de Janeiro) e com a Orquestra Petrobrás Sinfônica, cabe mencionar O Percurso das Almas Cansadas e Forrobodó, concertos escritos pelos compositores Sérgio Molina e Egberto Gismonti especialmente para uma apresentação com orquestra do Quaternaglia no “I Festival Internacional de Violão de Round Top” (EUA, 2005).

A atividade didática do quarteto também é bastante intensa, e inclui masterclasses e palestras a convite de instituições como Yale University (New Haven), Jacobs School da Universidade de Indiana em Bloomington, Northeastern Illinois (Chicago), Delta State University, University of Arizona, Texas Christian University e California State University (nos Estados Unidos), bem como no Conservatório de Coimbra (Portugal) e, no Brasil, nos Festivais de Música do Pará, Campina Grande (PB), Juiz de Fora (MG) e Londrina (PR), além da organização dos Encontros de Violão do Pará e dos Seminários de Violão “Henrique Pinto” (em São Paulo).

Entre as mais de 40 obras dedicadas ao Quaternaglia destacam-se Forró e Forrobodó, de Egberto Gismonti, Variações Xangô, de Almeida Prado,Baião de Gude e Frevo e Fuga, de Paulo Bellinati e Quinteto para um outro Tempo (para quatro violões e piano), de Sérgio Molina, além de obras de Marco Pereira, Douglas Lora, Paulo Tiné, Rodrigo Vitta e João Luiz.

As celebrações do vigésimo aniversário do Quaternaglia, em 2012, culminaram com sua atuação como solista da Orquestra Sinfônica Heliópolis regida por Isaac Karabtchevsky na Sala São Paulo. Em 2013 o quarteto realizou sua décima turnê aos Estados Unidos, turnê em Portugal, concertos com orquestra em Aracaju e Havana, e recitais em cinco festivais nacionais e internacionais. Em 2014 o grupo estrou no Festival de Woodend, na Austrália e em 2015 lançou o novo CD Xangô na Sala São Paulo e no Festival de Música Brasileira de Austin (Estados Unidos).

 

Repertório do CD Xangô:

 

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)

  1. Choros n.5 “Alma Brasileira” (1925)

arranjo: João Luiz

 

Almeida Prado (1943-2000)

  1. XIV Variações Sobre O Tema de Xangô* (1961/2003)

versão para quarteto de violões: Almeida Prado/João Luiz  9:13

 

Ronaldo Miranda (1948)

Suíte n.3 (1973)

  1. Allegro
  2. Allegretto
  3. Lento
  4. Allegro gracioso

arranjo: Chrystian Dozza

 

Sergio Molina (1967)

  1. Canção Sem Fim (para sons sem palavras)* (2014)

 

Chrystian Dozza (1983)

  1. Sobre um Tema De Gismonti* (2012)

baseado em Sete Anéis

 

João Luiz (1979)

  1. Modinha* (2011)
  2. Urbano* (2012)
  3. Kirsten (toada)* (2014)

 

Paulo Bellinati (1950)

  1. Maracatu da Pipa (2004)

versão para quarteto de violões: Paulo Bellinati/Chrystian Dozza   8:02

 

Villa-Lobos – Bachianas Brasileiras n.9 (1945)

  1. Prelúdio
  2. Fuga

arranjo: Thiago Tavares/Quaternaglia

 

* peças dedicadas ao Quaternaglia

 

Categorias

+ Sem comentários

Adicionar