6 maneiras diferentes de como aprender a tocar bateria

6 maneiras diferentes de como aprender a tocar bateria


Aprender qualquer instrumento requer paciência e muita disciplina. Afinal, é um esforço que mistura conhecimento técnico com uma boa capacidade de expressão e criatividade. Por mais complexo que seja tocar algumas músicas ou seguir o estilo de determinados músicos, tudo pode ser reduzido a princípios básicos que podem ser aprendidos.

Assim, se você quer começar nessa jornada, descobrindo como aprender a tocar bateria, não deixe de conferir as dicas que mencionaremos neste conteúdo. Separamos algumas formas diferentes de começar os estudos. Boa leitura!

O que é preciso para começar?

Executar ritmos complexos na bateria pode parecer uma tarefa impossível para quem ainda não domina o instrumento. Além disso, ninguém começa tocando como os grandes músicos. No entanto, a linguagem que eles utilizam pode ser assimilada com organização e dedicação. É só colocar em ordem o que é importante e correr atrás para evoluir.

Teoria e prática

O aprendizado de qualquer coisa em música é uma perfeita mistura entre conhecimento teórico e prática. A teoria ajuda a compreender como a bateria se encaixa dentro de um arranjo e como se relaciona com os outros instrumentos. Ela também ajuda a criar formas de expressão que se encaixem com o sentimento da canção executada no geral.

Além disso, auxilia na denominação de técnicas e na sistematização de um estilo de tocar. É como um idioma que ajuda as pessoas a criarem sua própria abordagem.

No entanto, a prática é o grande destaque. É o que separa grandes músicos de iniciantes. A maioria dos heróis do instrumento são pessoas que dedicaram anos de suas vidas à prática constante.

Tudo começou com o básico: ritmos simples, chamados de rudimentos, em apenas uma parte do kit. Com isso, o objetivo foi desenvolver um pouco da resistência necessária para a bateria. Em seguida, foi possível começar a montar ideias com os outros componentes.

Esse instrumento requer uma atenção múltipla, já que o músico precisa tocar mais de um tambor no mesmo ritmo. Por isso, o baterista precisará de uma boa coordenação motora e capacidade física, não somente técnica. Com o treino, é possível conseguir isso com naturalidade, no entanto. Afinal, a palavra-chave é a disciplina.

Consumo de música

Outra questão que deve ser uma prática comum entre aspirantes a músicos: ouvir bastante música. Muitos iniciantes falham nesse quesito e se tornam bateristas sem referências e sem um estilo definido.

É importante consumir muitos álbuns que já foram lançados, principalmente com grandes bateristas, para entender como o instrumento faz parte das ideias do arranjo e como ele serve a fim de acentuar o ritmo.

Nesse sentido, vale criar um hábito de ouvir e pesquisar diferentes estilos de música e seguir também a dica que citaremos no subtópico 6 da próxima seção.

Como aprender a tocar bateria?

Agora que você já sabe alguns conceitos iniciais, vamos conhecer as formas comuns de aprender um instrumento fascinante como a bateria.

1. Leitura de partituras

Partituras são uma forma de sistematizar músicas com uma linguagem padronizada de símbolos. Funcionam como um guia para a execução de qualquer canção, com informações sobre o quão rápida ela é e o que deve ser feito em cada momento. Aprender a ler esse tipo de documento ajuda a expandir a mentalidade do músico e a compreender como grandes gravações são estruturadas.

Com uma partitura, você aprende aspectos teóricos importantes e é capaz de tocar qualquer coisa sem precisar que alguém ensine. Ou seja, o baterista se torna bem versátil e preparado para diversas situações da carreira profissional.

2. Uso de metrônomos

A bateria tem como função principal manter o ritmo. Assim, é importante utilizar o metrônomo para estudar, tanto no começo quanto depois, com o amadurecimento. A ele está associado o conceito de compasso, uma métrica utilizada para representar o tempo em música.

Esse pequeno dispositivo, que hoje pode ser encontrado em apps para smartphones, marca o compasso e a velocidade, fornecendo um som de exemplo que orienta o músico. Assim, com a prática, ele se torna mais eficiente em se controlar e manter um padrão de tempo nas execuções.

Para o aprendizado, o metrônomo é um grande aliado, pois ajuda a entender as diferenças entre um tempo rápido e lento, bem como diferentes fórmulas de compasso. Desse modo, o baterista é capaz de estudar algumas técnicas específicas, como a síncope, que consiste em tocar sem obedecer ao tempo para gerar um efeito especial.

3. Aulas presenciais com professor particular

Aprender sozinho pode ser um fardo muito grande para algumas pessoas, principalmente as que tem outras tarefas e obrigações. Por esse motivo, muitos recorrem às aulas com professores particulares, o que também é uma ótima estratégia.

Com o acompanhamento de um profissional, você conseguirá tirar suas dúvidas e estudar canções que gosta, entendendo quais os pilares técnicos por trás de grandes performances.

4. Escolas de música

Para quem procura aulas, existe também a opção de estudar em uma escola de música. Nesse caso, o estudante contará com um método mais organizado e eficiente, bem como, com profissionais ainda mais experientes. Assim como em qualquer escola, poderá se comunicar e trocar ideias com outros estudantes também.

As grandes diferenças para os estudos particulares são a abordagem e a dedicação do professor. No caso de professores exclusivos, o aluno conta com sua atenção total durante toda a aula, ao contrário de uma instituição.

Geralmente, em aulas privadas, os profissionais seguem uma estratégia mais prática, ao trabalhar diretamente com exemplos. Em escolas, por outro lado, a teoria ganha maior ênfase.

5. Cursos online

Com a internet, temos também a opção de estudar com professores, de maneira sistemática e com feedbacks, mas sem sair de casa. Os cursos online são uma opção cada vez mais aceita por muitos estudantes e músicos profissionais que buscam reciclagem.

O esforço de deslocamento é eliminado, e o aluno só precisa da dedicação e disciplina para seguir em casa e assistir a módulos, sem esquecer, é claro, da prática.

6. Aprender sozinho

Por fim, músicos conseguem também estudar por conta própria, o que pode ser feito com materiais disponíveis na internet, por exemplo.

Centenas de grandes artistas nunca pisaram em uma escola ou tiveram aulas formais na vida, mesmo assim, se tornaram referências. Isso porque a música é algo natural, que pode ser desenvolvida com vontade e trabalho constante, mesmo que não haja apoio externo.

Uma abordagem que muitos utilizam é a de estudar com álbuns. As pessoas tentam aprender músicas que gostam e tocar acompanhando gravações de suas bandas prediletas. Evidentemente, não dá para começar com coisas muito técnicas e complexas, mas é interessante perceber como esse tipo de estudo impulsiona a evolução com o tempo.

A bateria é um dos instrumentos mais queridos e que mais atraem interessados quando querem começar a estudar. Hoje existe uma diversidade incrível de maneiras para começar os estudos, com métodos que facilitam o aprendizado e acesso à informação. Os combustíveis principais são: dedicação e disciplina.

Gostou das dicas de como aprender a tocar bateria? Assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos de qualidade em seu e-mail.

Categorias

1 Comentário

Adicionar

+ Deixe um comentário