A orquestra virtual nos estúdios

A orquestra virtual nos estúdios


Muitos fatores colaboraram para que os meios eletrônicos possibilitassem simular uma orquestra, entre eles samplers de alta capacidade, bibliotecas de sons orquestrais de alta qualidade e a incorporação de funções avançadas nos sequenciadores modernos

Orquestra virtual é a tecnologia capaz de simular o som e o comportamento de uma orquestra acústica tradicional. A arte de simular a orquestra sinfônica tem sido aperfeiçoada e isso inclui a habilidade de seguir a condução do tempo de acordo com o regente e responder a uma variedade de expressivas nuances em tempo real.

Gravação samples orquestraA execução de uma partitura pela orquestra virtual constitui um método eficiente para a audição de obras musicais que, por alguma razão, ainda não foram executadas e gravadas pela orquestra acústica. Este pode ser um excelente recurso de composição, possibilitando um feedback sonoro da partitura para que eventuais ajustes possam ser realizados antes dela ser encaminhada à execução pela orquestra real. Dependendo da finalidade da atividade musical, a orquestra virtual também é usada para substituir a sonoridade da orquestra acústica, tornando-se uma verdadeira ameaça aos músicos que trabalham nas gravações em estúdios comerciais. As produções para
a televisão e o cinema com orçamentos limitados para trilha sonora costumam utilizar simulações de orquestra, seja para substituir integralmente ou complementar formações orquestrais. Apesar do resultado muitas vezes não ser o ideal, a simulação por samplers e sequenciadores é mais flexível e econômica do que contratar um conjunto de músicos.

Além de gravações de trilhas sonoras de filmes, a orquestra virtual é usada também para a simulação em tempo real da orquestra acústica em determinados gêneros tais como ópera, teatro e balé. A ruptura do universo da música tradicional causada pela utilização de instrumentos eletrônicos, entre eles o computador, forneceu um leque de possibilidades ao compositor contemporâneo bem diferentes das orquestrações acústicas e simulações de orquestra por computador.

David Newman

David Newman

Utilização da orquestra virtual
Para evitar que a CPU congele ao utilizar uma grande quantidade de samples de 24 bits para simular orquestras com
sessenta ou mais músicos, alguns usuários costumam utilizar bibliotecas em vários computadores. O compositor americano David Newman, por exemplo – criador de mais de cem trilhas sonoras, incluindo A Era do Gelo, Anastasia, O Fantasma, Scooby-Doo, Galaxy Conquest e Tarzan – lança mão de simuladores de orquestra em
seus computadores do estúdio. Newman utiliza dois computadores para timbres de cordas, um para piano e percussão, um para metais, um para madeiras e outro para mixar os sons. O compositor aloca 137 trilhas em seu Template Autoload, das quais 50 são dedicadas às cordas. Também utiliza o software Kontakt para disparar os sons da orquestra. Por meio da orquestra virtual, cria demos que são fornecidas aos diretores e produtores para posteriormente serem refeitas pela orquestra real.

Modular Joel Goldsmith

Modular Joel Goldsmith

Outro compositor que utilizou bibliotecas de samples foi Joel Goldsmith, filho do renomado compositor Jerry Goldsmith. Ele usou a orquestra virtual para as trilhas de Stargate SG1, Stargate Atlantis e videogames. Mas Joel Goldsmith também utilizava sons analógicos em suas produções. Em parceria com o técnico Tim Joy, desenvolveu  um sintetizador modular híbrido no qual módulos implementados pela Synthesis Technology foram conectados a um Mac para processamento de efeitos em tempo real, sequenciamento e edição de áudio. Esse instrumento de grande capacidade forneceu ao compositor poderosos recursos analógicos e digitais.

 

Clique e conheça alguns dos fornecedores de bibliotecas para simulação de sons de orquestra:

Symphobia
garritanlogo

eastwest_NC

 

Categorias

+ Sem comentários

Adicionar